sexta-feira, 16 de abril de 2010

POR QUE AS TECNOLOGIAS NOS AFETAM?


imagem publicada - duas crianças, um menino e uma menina, comendo pipoca, sentados em um sofá, assistindo a uma cena em 3D em anúncio de uma televisão em terceira dimensão, usando os óculos especiais para esta finalidade. Eles estão boquiabertos com a sensação provocada pela tecnologia 3D. E ficarão mais surpresos ainda com as que o Futuro nos reserva? ou não haverá surpresas com nossos caminhos sendo cruzados pelas diferentes tecnologias no Futuro?


INFOATIVO DEFNET 4394 - abril de 2010

"Os direitos nascem quando o aumento de poder do homem sobre o homem - que acompanha, inevitavelmente, o processo tecnológico ( a capacidade de dominar a natureza e os outros homens)- ou cria novas ameaças à liberdade do indivíduo, ou permite novos remédios para suas indigências." Norberto Bobbio (A Era dos Direitos)


Devido a um recente aviso da Samsung sobre o efeito danoso de uso de Televisores com 3D para mulheres grávidas, alcóolatras e pessoas idosas, com a presença de "efeitos colaterais", como: "Visão alterada, sensação de enjôo, movimentos involuntários como espasmos musculares, confusão, náuseas, perda de consciência, convulsões, cãibras ou desorientação", interroguei o que as altas (high) Tecnologias causam de 'mal' aos consumidores?

Os gregos tinham uma visão de arte para a palavra "Techné ou Tykne" (técnica), que implicava em dar um 'sentido' para seu signicado e significante; eles, como Aristóteles, em a Ética para Nicômano", tinham a Techné como uma representação das realidades sobre as quais o homem poderia intervir, indagando-se com um "para quê", qual a finalidade, portanto não era apenas um mero instrumento ou meio. Deveriam, e devem as tecnologias, existir em um contexto social e ético, no qual se produzia um valor de uso ao se indagar o 'como' produzir, criar, inventar e o indispensável ' para que e para quem'?.

Por isso, por exemplo, as tecnologias educacionais já foram, são e serão um indispensável ferramenta para determinadas pessoas como as que vivenciam deficiências. Ao se reconhecer que instrumentos ou meios podem desde facilitar, até radicalmente mudar, a visão ou outro de nossos sentidos ou funções corporais. Ao se reconhecer que os mesmos podem equiparar oportunidades e direitos ao remover as barreiras, com uso e acesso universal a todas as tecnologias. Sejam as visíveis ou as invisíveis. Sejam elas 'sociais' ou 'midiáticas ou novas tecnologias de informação e comunicação'.


Esta semana algumas novas tecnologias de acessibilidade e de comunicação estarão sendo apresentadas para pessoas surdas, cegas, com paralisias cerebrais, paraplégicos e outras formas de deficiências. Trata-se da Reatech, uma feira que traz no seu nome a implicação com as tecnologias, em especial as chamadas tecnologias assistivas ou as ajudas técnicas, que muitas vezes mudam e afetam, criativamente, a vida de pessoas com deficiência. 


Nesse campo tecnológico, que pode ser definido como um campo onde se criam ou inventam-se soluções e engenhocas, desde as mais rudimentares às mais sofisticadas, como as que dependem de meios eletro-eletrônicos, encontramos diferentes profissionais dedicando-se de corpo e alma para que as tecnologias estejam a serviço do ser humano. É uso bio-ético possível de uma invenção ou adaptação técnica ou tecnológica.

Eu, no momento, experimento uma adaptação que me tem permitido escrever deitado. É uma simples adaptação de um mesa dobrável com um braço de sustenção que suporta peso do laptop de forma segura. 

Assim como com uma inclinação, por um mecanismo sob a madeira desta mesa para notebook, tornando-a ergométrica e ajustável à melhor posição do seu usuário. É a tecnologia que se torna dobrável ao meu desejo de escrever e de me comunicar por este blog, e não o contrário. Não fosse esta mesa e a sua simples e econômica tecnologia não haveria, logo após a minha cirurgia de coluna vertebral, a possibilidade e a facilidade de usar minhas mãos, idéias e sentimentos para a escrita no notebook, mais ainda se este não existisse...

Por isso é que os gregos tinham o mesmo verbo "tictein"como conjugação tanto para a palavra "técnica" como para a "tecnologia". Eram nascentes da mesma raiz verbal. Este verbo que poderia ainda ser o preciso significado/sentido destas palavras, que o tempo se encarregou de tornar polissêmicas e, às vezes, desvirtuadas e banalizadas, já teve outra inventividade e poesis (capacidade de duplicação e multiplicação vital).

Talvez devessemos e possamos fazer a indagação: os gregos tinham a razão ou a emoção no ato de "criar, conceber, produzir, dar à luz"?. Retomo aqui o que já escrevi há alguns anos atrás (2003), acerca das exclusões de acesso às novas tecnologias e a urgência de sua socialização:

 "A 'naturalização' das tecnologias pode vir a ser enfrentada com resistência, como possibilidade de uma mudança e transformação de nossas condições de sujeitamento e submissão, a partir de uma tomada de posição política e social, na qual coletivamente possamos assumir e concretizar o desejo de que as tecnologias se tornem públicas, universais e democráticas...".

Então, nos perguntamos por quê alguns irão ver em 3D e outros em uma única dimensão: suas realidades ainda são em preto e branco? e ainda assim alguns serão excluídos por seus 'efeitos colaterais'? As mulheres por colocarem sua vida e a de sua concepção ainda intra-útero? os idosos por suas fragilidades geradas pelo envelhecimento biológico ou ou envelhecimento e exclusão por sua invalidez, na sociedade e nas famílias? e os "bêbados" por já estarem, para além de sua dependencia química, vendo e sentindo a vida embriagada em todas as suas duplicidades e esfumaçamentos?

Não, apenas como telespectadores estarão estes 'excluídos da Tv 3D', segundo uma fabricante de televisores e outros eletro-eletrônicos "lembra(ndo) que ver televisão em 3D pode causar desorientação no espectador..." 

E para que não sejam acionadas judicialmente, no futuro, pelos bêbados e equilibristas, a empresa não nos adverte para não vermos os Big Brothers e outros reality shows da vida, mas 'para não colocarmos os aparelhos de TV perto de sacadas ou escadas'... Ou seja não nos adverte sobre como evitar o maior dos efeitos colaterais: nossa alienação dos direitos e a perda progressiva de nossas liberdades.

Ironia ou Desprezo por nossas capacidades de crítica e/ou lucidez diante deste recall tecno-eletrônico pós-surrealista?

Agora serão os mercados capitalísticos eletro-eletrônicos os nossos presente-futuros estimuladores de uma falácia: há tecnologias que nos fazem mal. Vamos voltar aos modelos tradicionais de tele-visão. Não importará que, no futuro, tenhamos uma microcâmera orwelliana embutida nestes aparelhos de lazer e controle remoto dos seus espectadores passivos. 

As tecnologias em si, como já disse pela etimologia, não são necessariamente nem boas nem maléficas. As tecnologias, inclusive as biotecnologias, conforme a visão bioética, necessitam é de um maior controle e re-visão de seu uso, finalidades econômico-políticas e de sua forma de produção no Hipercapitalismo.

Muitos dirão que gostamos da idéia da tridimensionalidade dos espetáculos, sejam na tela pequena da tv ou das panorâmicas telas do Cinema, como o recente Avatar de James Cameron, é certo. 

Mas temos de colocar outros óculos além dos adaptados à 3D. Principalmente, diante dos usos de tecnologias reificadas, inescrupulosas e consumistas: o indispensável telescópio/microscópio da crítica ao utilitarismo e à negação dos princípios de proteção da Vida Humana e de todos os seres vivos, bioéticamente, em nome do progresso e da falsa modernização descartável das tecnologias, em todos os campos da Ciência, do Mercado e da Invenção.

TECNOLOGIA PARA O ACESSO ÀS NOVAS TECNOLOGIAS OU ACESSO UNIVERSAL A TODAS AS TECNOLOGIAS? continuarei indagando e questionando...

PS- Senhores Políticos, Sr. Ministro das Comunicações e demais autoridades do campo das Telecomunicações: quando é que reconheceremos o direito à "coisas telecomunicantes" menos 'perigosas' à Saúde Pública que a TV 3 D, por exemplo: para as pessoas cegas, com a Audiodescrição e para as pessoas surdas, como todos os programas, universalizantemente, com Closed Caption?

Fontes:

II REATECH - Feira de Tecnologias em Reabilitação, Acessibilidade e Inclusão
http://www.reatech.tmp.br/
Local - Centro de Exposições Imigrantes - Rodovia dos Imigrantes - Km 1,5 - São Paulo - SP - DE 15 A 18 DE ABRIL.

Grávidas, idosos e bêbados devem evitar TV 3D, alerta Samsung
http://tecnologia.ig.com.br/noticia/2010/04/15/gravidas+idosos+e+bebados+devem+evitar+tv+3d+alerta+samsung+9459008.html

Tecnologia assistiva para o acesso universal ou acesso universal às tecnologias? Jorge Márcio Pereira de Andrade
http://www.cidec.futuro.usp.br/artigos/artigo9.html

Exemplo de Tecnologias Assistivas já produzidas para Pessoas com Deficiência aplicáveis na Educação: http://www.clik.com.br/intelli_01.html

Audiodescrição - http://blogdaaudiodescricao.blogspot.com/2009/10/saga-da-audiodescricao-no-brasil.html

Closed Caption - http://pt.wikipedia.org/wiki/Closed_Caption

Referências bibliográficas -

'Para além das exclusões: por uma Sociedade da Informação rumo à Sociedade do Conhecimento e das Diferenças' - Jorge Márcio Pereira de Andrade, In "Políticas Públicas: Educação, Tecnologias e Pessoas com Deficiências - Shirley Silva e Marly Vizim (orgs.) - Editora Mercado de Letras &ALB (Associação de Leitura do Brasil), Campinas, 2003.

Tecnologia Educacional - política,história e propostas - Edith Litwin - Editora Artes Médicas - Porto Alegre - RS - 1997.

LEIAM TAMBÉM NO BLOG - 
ROBÔS, POLÍTICA E DEFICIÊNCIA http://infoativodefnet.blogspot.com.br/2012/07/robos-politica-e-deficiencia.html

4 comentários:

  1. Fantástico, Jorge! Você disse tudo.

    Essa também, é uma das minhas preocupações em relação aos avanços da tecnologia.

    Conhecemos os benefícios de algumas, no entanto desconhecemos os malefícios de outras.

    Realmente, Jorge. Enquanto as pessoas com deficiência, não têm acesso aos recursos básicos como audiodescrição e Closed Caption, isso em pleno século XXI, as autoridades responsáveis pela Telecomunicação investem, pesadamente, em recursos altamente perigosos. Não entendo o porquê de tanta discriminação.

    Parabéns pelo texto! Coloquei o link no blog.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Sempre Atenta e Eficiente VERA
    Obrigado por mais uma republicação no seu Blog e pelos comentários que sempre afirmam os Direitos das Pessoas com Deficiência. E nossas 'autoridades' das Tele-Comunicações ainda estão TELE-DISTANCIADOS de uma inevitável realidade: temos 25 milhões de pessoas com deficiência, e mais 25 milhões de famílias com alguém com alguma incapacidade em casa, e 25 ou mais milhões que são cidadãos e cidadãs com possibilidade de VOTO... e o ano é eleitoral. AUDIODESCRIÇÃO JÁ é um bom movimento nesse ano.
    um doceabraço jorge

    ResponderExcluir
  3. VIVEMOS EM SOCIEDADE,ONDE OS VALORES MUDAM GALOPANTEMENTE. HOJE O CONSUMISMO ENTRA NAS NOSSAS CASAS PELA PORTA DA FRENTE E MUITAS VEZES DEIXAMOS DE QUESTIONÁ-LO PERMITINDO TORNAR-SE UM VERDADEIRO ÓPIO VICIANDO-NOS DE FORMA IMPERCEPTÍVEL E CADA VEZ MAIS.
    A TECNOLOGIA UTILIZADA DE FORMA SÁBIA,É UMA GRANDE ALIADA NA QUALIDADE DE VIDA DA HUMANIDADE, TANTO NO CAMPO EDUCACIONAL, COMO NO DA SAÚDE E DIVERSAS CIÊNCIAS. FAZ-SE NECESSÁRIO ESTARMOS ATENTOS AS EXIGÊNCIAS SOCIAIS DE INCLUSÃO ATRAVÉS DA TECNOLOGIA, POIS ESTA ENCONTRA-SE EM PERMANENTE EVOLUÇÃO QUE NEM TODOS AINDA POSSUEM MATURIDADE PARA ACOMPANHAR, E ISTO INCLUE NÃO APENAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES, MAS TAMBÉM "ADULTOS". ACREDITO QUE TODO ESTE CONHECIMENTO QUE CHEGA AO HOMEM VEM COM A PERMISSÃO DIVINA PARA O SEU CRESCIMENTO INTERIOR ATRAVÉS DE DIVERSOS TIPOS DE REFLEXÕES SOBRE O SER E O TER, PODER E FAZER, ACREDITAR E SUPERAR.... MAS PARA ISTO É FUNDAMENTAL LERMOS NAS ENTRELINHAS DE TODAS AS OPORTUNIDADES QUE SE APRESENTAM EM NOSSA VIDA. A VIDA É PURA FILOSOFIA E A TECNOLOGIA É APENAS MAIS UM INSTRUMENTO PARA GRANDES REFLEXÕES.
    OBRIGADA JORGE, POR ME PERMITIR ESTE MOMENTO PARA REPENSAR VALORES E AÇÕES.
    FICA SEMPRE COM DEUS.
    BJO NA ALMA.

    ResponderExcluir
  4. Cecinha
    Agradeço seu comentário e afirmação da vida como filosofia, e mais ainda como dedicação a transformação de nossas vidas, a partir de nossas filosofias, aliadas ao amor e à invenção de novas formas de existir, sempre repensando o uso ético e bioético de todas as tecnologias... um docesuaveabraço jorgemarcio

    ResponderExcluir