terça-feira, 5 de outubro de 2010

UM PEDAÇO DE GIZ NA TELA DIGITAL - Dia Mundial do(a) Professor(a)


Imagem publicada - uma professora afegã, representada no filme 11 de Setembro, 11 minutos, 9 segundos e um frame (fotografia que forma a imagem em movimento), no curta de Samira Makhmalbaf, cineasta iraniana, com seus alunos realizando um ato ético de respeito à um momento histórico do ocidente, diante de uma chaminé de uma olaria (onde se fazem tijolos de barro), com 01 minuto de silêncio pelas vítimas norte-americanas do World Trade Center.

" O professor é aquele que faz brotar duas idéias onde antes só havia uma". (Elbert Hubbard)


Hoje dia 05 de outubro comemora-se o Dia Mundial do Professor, mais um dia ao qual expresso minha homenagem e minha lembrança para todos e todas que me fizeram brotar ideias e afetos.

A minha primeira lembrança, ao tomar contato com esta comemoração mundial, é de uma frase que lancei ao ar, há muitos anos atrás, em palestra na UERJ, justamente para homenagear professoras e professores presentes: " me lembro, hoje, com carinho de minhas primeiras professoras como quem deve se lembrar de um(a) lapidador(a)... pois se acredito que somos todos diferentes pedras preciosas in natura, somos também qual pequeninos diamantes que com a devida e afetuosa lapidação educacional, podemos ver retiradas nossas jaças e nossas carapaças de qualquer ordem... 

E digo que: quem sabe se foi por essas mãos-guias, que serão na maioria das vezes esquecidas, é que, talvez, um dia possamos realmente brilhar e encantar no futuro... e/ou, então, ao descobrirmos nossas imperfeições e diferenças, singular e eticamente, re-conhecer que somos capazes de produzir falsos valores e falsas admirações..."

Hoje, portanto, deveríamos nos lembrar de quem nos ajudou ou ajuda nas nossas "lapidações da subjetividade''. Estes que, só aparecem na mídia, como responsabilizados por falhas na educação, ou então quando exercem seu direito de greve por melhores condições de trabalho ou de salários.

Quanto ganha hoje uma professora da educação fundamental? Na minha terra natal eram as chamadas professoras ''primárias'', tinham uma respeitabilidade e papeis sociais reconhecidos. Isso acompanhado de um salário digno e classes com um número de alunos diferente da dura realidade de hoje. 

Eram, merecida e reflitamente, nossas segundas projeções de afeto e de respeito, vinham logo após nossas mães e familiares, mas hoje temos ou preservamos esse respeito reverencial e amoroso para com os nossos mestres ou mentores?


Segundo notícia do Jornal o Globo: "Até 2015, 99 países vão precisar de mais 1,9 milhão de professores em sala de aula para conseguir universalizar a educação básica".Qual será a atitude política que todos os Governos, em especial dos países emergentes e em desenvolvimento para dar respota a essa urgência mundial? Para a Unesco " o tema das comemorações deste ano é A Reconstrução Começa pelos Professores. 

A intenção é destacar o papel crucial que os educadores desempenham em áreas que estão em situação de emergência, em momentos pós-conflitos e de crise social, econômica ou humanitária". E essa afirmação da reconstrução é um dos principais exercícios no Haiti Vivo e em seu ressurgimento pós-terremoto.

Há um lindo exemplo dessa reconstrução e construção de novas subjetividades no curta de Samira Makmalbaf no filme sobre o 11 de Setembro, com 11 minutos de curta metragem, por 11 diretores de cinema de diferentes nacionalidades.

Nesse curta Samira traz uma professora de refugiados afegãos em uma olaria, que ao fazerem tijolos, tem uma improvisada sala de aula, onde ela, após arrebanhar as crianças, meninos e meninas, os leva a fazerem um minuto de silêncio pelas vítimas do atentado terrorista em Nova York.


As crianças sentadas sobre os tijolos que amassaram com os próprios pés nos dão, nesses 11 minutos, a lição de uma eternidade da capacidade de uma educadora no respeito ético à vida humana, apesar do temor de que eles próprios pudessem ser ''destruídos' pelos EUA.

Ao final todos olham para um torre de tijolos, uma chaminé e sua fumaça negra, que se ergue qual uma das torres gêmeas apontando para o futuro de nossa humanidade. É uma alegoria do que ainda poderemos construir dentro de uma visão de inclusão, ecosofia, bioética e respeito aos direitos humanos no ato de educar. A cada um de nós caberá amassar, com muito carinho e intensidade, nossos próprios tijolos da subjetividade produzida na reconstrução de um outro mundo possível. Sempre com o respeito às pessoas que nos educam e suas escolas.

Ouçamos a professora que ecoa em nossos inconscientes, e que Samira nos apresenta: "... Venham crianças para a classe. Vocês não podem parar bombas atômicas apenas com esses tijolos..." E nós o que podemos começar a construir de futuro se abraçarmos amanhã, e depois, com todo respeito e carinho, um professor ou professora?

Talvez possamos olhar, juntos, para a reconstrução de nossas próprias humanidades, micropolitica e molecularmente, para além de todas as biopolíticas e todas as suas artimanhas. Talvez nos colocando diante do futuro, pessoal e coletivamente, digamos em coro, olhando para a estrada aberta, que queremos aprender a aprender a mudar o mundo globalizado. E, então, brotarão não mais duas, mas múltiplas, diversas, diferentes e criativas idéias... E aí surge a Educação Inclusiva...

UMA ÚLTIMA PERGUNTA: diante das notícias sobre as opiniões sobre o aborto e sua criminalização, os que se candidatam a ser nosso futuro presidente(a) não precisam de alguma forma de um bom professor(a) para sua lapidação bioética?

copyright jorgemarciopereiradeandrade (favor citar a fonte em republicações livres na internet ou por outros meios de comunicação de massa, favorecendo um outro modo de produzir a difusão e socialização de conhecimentos)

DIA MUNDIAL DO PROFESSOR
http://www.5oct.org/index.php/es/inicio

UNIVERSALIZAR A EDUCAÇÃO BÁSICA REQUER 1,9 MILHÃO DE NOVOS PROFESSORES ATÉ 2015, ESTIMA UNESCO:
http://oglobo.globo.com/educacao/mat/2010/10/05/universalizar-educacao-basica-requer-1-9-milhao-de-novos-professores-ate-2015-estima-unesco-922707319.asp

SAMIRA MAKHMALBAF
http://www.makhmalbaf.com/persons.php?p=4

11 de SETEMBRO - 11'9'1 - CURTA METRAGEM
http://omelete.com.br/cinema/i11-de-setembroi-os-curtas-metragens

LEIA(M) TAMBÉM SOBRE O TEMA NO BLOG:

TIROS REAIS EM REALENGO: A VIOLÊNCIA É UMA PÉSSIMA PEDAGOGA 
http://infoativodefnet.blogspot.com.br/2011/04/imagem-publicada-imagem-de-bracos-e.html

O JUQUINHA E SUA CADEIRA - POR UMA EDUCAÇÃO DIFERENTE 
http://infoativodefnet.blogspot.com.br/2011/07/juquinha-e-sua-cadeira-por-um-educacao.html

DIREITOS HUMANOS COMO QUESTÃO PARA A EDUCAÇÃO INCLUSIVA http://infoativodefnet.blogspot.com.br/2010/05/imagem-publicada-uma-foto-de-tres.html

POR QUE AS TECNOLOGIAS NOS AFETAM? 

http://infoativodefnet.blogspot.com.br/2010/04/por-que-as-tecnologias-nos-afetam.html

A EDUCAÇÃO DE PÉS DESCALÇOS
http://infoativodefnet.blogspot.com.br/2011/06/educacao-de-pes-descalcos.html

12 comentários:

  1. Doutor Jorge, obrigada pela homenagem a estes profissionais que estão em face de extinção.
    No centro Universitário Padre Anchieta várias licenciaturas foram extintas... Uma pena!!! A cada dia que passa o profissional da Educação a ser contratado é aquele que não tem nada de educador... assim vamos deformando, um pouco a cada dia, nossos estudantes, por uma desvalorização grande, por parte das políticas públicas a este trabalhador que está às margens da sua profissão.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. CARA MALU
    os que nos ensinam o desejo de transformar o mundo e os mundos não estão em extinção, mas correm o risco de serem extintos se desumanizarmos mais ainda a sua profissão, seu valor social e sua importância ética na formação de cidadãs e cidadãos... por isso continue na re-existência educadora e na resiliencia afetiva por um outro modo de educar e ser educado... com meu abraço doce jorgemarcio

    ResponderExcluir
  3. Querido amigo Jorge
    Obrigada por essa mensagem encorajadora do nosso dia, dia do professor!!!
    No dia-a-dia muitas vezes é desistimulante, quando uma pessoa pergunta se estudo ou trabalho, e digo que sou professora, a pessoa fica espantada, "Como você é professora?", respondo que atuo cm a inclusão dos bebês com deficiência. Percebo nesses comentários preconceito duplo, o primeiro por eu ter uma deficiência e mesmo assim me formar professora e atuar como Professora e o segundo motivo por eu ser professora uma profissão desvalorizada atualmente.
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Carissima ISIS
    Você aponta para uma dupla discriminação e preconceito que se efetiva no exercício da profissão de professora que é ainda velada e sutil... mas sabemos que somente a visibilidade e a presença viva, intensa e dedicada de pessoas como você que farão com que as diferenças sejam reconhecidas e respeitadas. Obrigado pela leitura e comentario, volte novamente e deixe aqui sua presença e visibilidade ativas... um doceabraço jorge marcio

    ResponderExcluir
  5. http://maiakowsky.blogspot.com/2010/10/755-otima-materia-sobre-crisolon-villas.html

    ResponderExcluir
  6. cARISSIMO mAiA koWsKY SEMPRE AMIGO
    Obrigado pela lembrança e pela ''visao '' de um enxadrista cego e campeão, que com certeza teve bons professores na escola e no tabuleiro... mantenha sempre contato um abraço doce jorge

    ResponderExcluir
  7. A escola sempre foi e deveria continuar sendo nossa segunda casa, nosso segundo lar, onde recebemos orientação, educação, carinho, amizade, troca de valores e Cultura, onde criamos laços afetivos para a vida toda, além de conhecimento científico. A escola deveria continuar sendo nosso refúgio, nosso apoio, nossa segurança e não o que se tornou hoje, um lugar sofrido cheio de violência e medo, um lugar onde os alunos não querem aprender, não querem comunhar nem compartilhar nenhuma experiência, e o professor não representa mais o papel acolhedor e seguro que representava gerações anteriores.... muito triste isso, os pais e a sociedade em geral abandonaram as escolas, hoje ela interessa mais ao traficante que fica em suas esquinas buscando novas vítimas.... Precisaremos amassar muitos, mas muitos tijolos mesmo e recriar o significado amoroso da palavra escola.

    ResponderExcluir
  8. Caro amigo Dr.JORGE,
    Matéria excelente para uma reflexão.
    Obrigada, por trazer a memória a relevância de ser professor. E a consequência de praticar ou vivenciar o princípio fundamental em qualquer área profissional; o amor. Sem esse ingrediente essencial não se promove mudança de comportamento. No entanto os direitos de aprendizagens e valorização educacional e profissional continua em pauta. Parabéns pela iniciativa de questionamento e bela matéria abordada.

    ResponderExcluir
  9. Caro amigo Dr.JORGE,
    Matéria excelente para uma reflexão.
    Obrigada, por trazer a memória a relevância de ser professor. E a consequência de praticar ou vivenciar o princípio fundamental em qualquer área profissional; o amor. Sem esse ingrediente essencial não se promove mudança de comportamento. No entanto os direitos de aprendizagens e valorização educacional e profissional continua em pauta. Parabéns pela iniciativa de questionamento e bela matéria abordada.

    ResponderExcluir
  10. Caro Jorge cada palavra pode acalentar ou beliscar o intelecto e a moral. Vejo que usas os dois pela evolução da humanidade.

    ResponderExcluir
  11. Não vou postar. Espero que postes no dia certo. Como sempre tua alma está no texto, teu coração, tua sensibilidade.Só as pessoas especiais se doam assim. Abraço, Dr.

    ResponderExcluir